7.10.17

DEFICIÊNCIA DE VITAMINA A DEVE SER RESOLVIDA PELA ALIMENTAÇÃO




Pesquisas sobre a deficiência de vitamina A geralmente são focadas em bebês e crianças com menos de cinco anos de idade, sendo muito associada ao desmame precoce.

Mas um novo estudo, que acompanhou quase 2.800 crianças com idades entre 5 e 12 anos, constatou que as crianças com menos vitamina A (retinol) no sangue têm maior incidência de diarreia com vômitos e tosse com febre.

"Estudos com crianças mais velhas têm incluído uma variedade de micronutrientes administrados juntos, mas nenhum estudo tinha estimado apenas o papel potencial da vitamina A neste grupo etário," disse Eduardo Villamor, da Universidade de Michigan (EUA), orientador do estudo.

A equipe também mediu os níveis de outros micronutrientes que são importantes para o 
sistema imunológico, incluindo zinco, ferro, ácido fólico e vitamina B12 - mas apenas a vitamina A estava relacionada às doenças.

"A associação que encontramos com a vitamina A seguiu um padrão de dose-resposta, em que maiores concentrações de retinol no sangue estavam relacionadas com menos sintomas," disse Villamor.

Especificamente, eles calcularam que, para cada 10 microgramas por decilitro de retinol presente no sangue, as crianças experimentaram 18% menos dias com diarreia e vômitos, 10% dias com tosse e febre e 6% menos visitas ao médico.

A conclusão do estudo, publicado The Journal of Nutrition, é que a deficiência de vitamina A deixa as crianças mais propensas a ficar doentes com problemas respiratórios e gastrointestinais.

Alimentos, não suplementos

Por outro lado, os estudos têm mostrado que a prescrição de vitamina A na forma de suplementos para crianças não gera resultados consistentes.

"Os efeitos dos micronutrientes, incluindo o retinol, podem variar em diferentes configurações devido ao estado nutricional subjacente da população, aos padrões epidemiológicos dos microrganismos que causam a doença - seja viral, bacteriana ou parasitária - à idade e, possivelmente, ao sexo das crianças e a outros fatores. Definitivamente, é incerto se a suplementação seria a única solução para tudo," disse Villamor.

Assim, o que parece mais adequado é cuidar da alimentação das crianças.

Os alimentos ricos em vitamina A incluem, entre muitos outros, abacate, abóbora, brócolis, cenoura, mamão, manteiga, agrião e tomate.

30.9.17

DESCUBRA O EXERCÍCIO IDEAL PARA O SEU OBJETIVO



Se você deseja melhorar como um todo, o ideal é que faça de duas a três tipos de atividade física semanais. Desta forma conseguirá os seguintes benefícios:
Melhora do seu condicionamento cardio respiratório;
Aumento da resistência, força e massa muscular;
Aumento da flexibilidade;
Mudança da sua composição corporal, aumento da massa muscular e diminuição da porcentagem de gordura.
Prevenção de doenças ou ajuda no controle de algumas doenças;
Bem-estar e diminuição do estresse do dia-a-dia.

Apesar disso, algumas pessoas além de ter pouca disponibilidade de tempo também se focam em um determinado objetivo. Nós sabemos que a regularidade na dieta e nos exercícios trará os resultados esperados e que fazer exercícios 5 a 6 vezes por semana é melhor do que fazer 3 vezes por semana.
Mas como nem sempre dispomos de 6 dias na semana para praticar exercícios, o ideal é que seu corpo permaneça o mais ativo possível. Por isso, tente fazer alguma atividade pelo menos 3 vezes durante a semana.

Para as pessoas que possuem um objetivo específico e desejam saber qual a atividade mais indicada para alcançá-lo, relacionamos abaixo algumas atividades para melhorar o seu desempenho:
Melhora do condicionamento cardio respiratório: exercícios aeróbios.
Aumento da resistência muscular: musculação ou exercícios resistidos (com pesos). Geralmente treinos com pouca carga e muitas repetições (em média de 20 a 30 repetições por exercícios).
Aumento da força e da massa muscular: musculação, com treinos com mais carga e poucas repetições. Existem muitos tipos de treinos de musculação. O ideal é mudar os treinos a cada mês para dar novos estímulos aos músculos.
Enrijecimento ou endurance: você poderá alternar treinos com pouca carga e muitas repetições e treinos com muita carga e poucas repetições.
Celulite e flacidez: você deverá fazer tanto os aeróbios de 5 a 6 vezes por semana quanto os anaeróbios com muita carga e poucas repetições. Uma drenagem linfática 2 vezes na semana também ajuda as pessoas que retém muito líquido.
Melhora da coordenação, do ritmo e da memória: aulas de step, Jump, treinamento funcional entre outras, embora você possa melhorar nestes quesitos também com alguns exercícios anaeróbios e outras atividades.
Melhorar a flexibilidade e mobilidade articular: alongamentos, pilates, embora você também desenvolva outros benefícios com estas aulas.

16.9.17

ORIENTAÇÕES PARA PREVENIR A MÁ-OCLUSÃO EM CRIANÇAS

Resultado de imagem para má oclusão dental

A oclusopatia (má-oclusão, mordida errada)  pode ser tratada de forma eficiente no momento do diagnóstico precoce em idade tenra. O objetivo do tratamento é prevenir problemas esqueléticos faciais (devido a  excesso, deficiência, assimetria), reeducar problemas funcionais e tornar possível  a erupção  dos dentes permanentes de forma livre, sem obstáculos.

A má-oclusão pode se manifestar em qualquer idade e não há uma  auto-correção. No entanto não é uma doença, mas sim uma alteração morfofuncional que  pode gerar problemas nas funções orais (mastigação, deglutição, fala, respiração, na postura, no risco à cárie, doenças gengivais)  na estética, na auto-estima e pode interferir na qualidade de vida. 

A mastigação é o grande agente modelador de todo o sistema estomatognático. Como se trata de uma função ela deve ser treinada, inicialmente através da amamentação. Através da amamentação, a criança desenvolve sua musculatura orofacial e é o primeiro ensaio de uma mastigação eficiente.  A criança que mama no peito faz força para mamar, transpira e é obrigada a respirar pelo nariz (ela tem que vedar a boquinha no peito da mãe). Com a erupção dos primeiros dentinhos podemos estimular a criança  a mastigar, não alimentos duros, mas sim, por exemplo,  a sugar um pedacinho de pão. Desta forma, através dos  estímulos musculares, ocorre o desenvolvimento e crescimento ósseo da face.

A correta respiração é outro aspecto importante para evitar a má-oclusão. A respiração oral tem consequências sérias como: maxilar superior estreito, palato profundo, má postura lingual podendo gerar mordidas abertas, mordidas cruzadas, entre outros. Muitos pacientes mesmo que tenham recebido tratamento médico para respiração bucal (medicamentoso ou cirúrgico) continuam respiradores orais por hábito. A correção do hábito de respiração oral poderá ser realizada por terapia fonoaudiológica, mas quando estiver associado com oclusopatias poderá, ao mesmo tempo, ser corrigido por tratamento odontológico ortopédico funcional.

Devemos prestar atenção nos pequenos detalhes, como a postura da criança no berço, ao mamar, hábitos como chupar dedo, chupeta, ranger de dentes e assim garantir a prevenção das má-oclusões.

A Ortopedia dos Maxilares juntamente com a Odontopediatria são especialidades indicadas para exercer a profilaxia da má-oclusão e a proteção dos fenômenos que envolvem o desenvolvimento e o crescimento orofacial.

2.9.17

UTILIZE SUA ENERGIA EM PROL DA SUA SAÚDE


         O nosso corpo é uma verdadeira usina de energia, transformando o que comemos e bebemos em movimento, uma energia incrível e se for utilizada a favor teremos mais saúde.
Em momentos de estresse, todo o corpo fica em alerta, pronto para o ataque. Se uma pessoa costuma gastar sua energia diariamente caminhando, nadando e se exercitando de qualquer maneira, conseguirá aproveitar a força em seu benefício e diminuirá os níveis de substâncias no organismo que fazem aumentar os riscos à saúde.
Para que a atividade física seja eficaz, é preciso que seja praticada regularmente, de preferência todos os dias (ainda que por apenas meia hora). 
Se a prática for diária facilita a retomada do equilíbrio fisiológico. Mas quem alega que não tem tempo de jeito nenhum, deve fazer, no mínimo, três vezes por semana e, de preferência, mais de trinta minutos.
É importante ressaltar a questão do prazer. O exercício não pode ser um sacrifício. A pessoa precisa gostar da atividade que escolheu, para que possa buscar resultado e sentir satisfação.
Para completar, procure seguir algumas dicas:
Aprenda a dizer NÃO, para não ficar sobrecarregada;
Adote uma postura positiva diante da vida;
Relacione suas prioridades na vida;
Evite o fumo, as bebidas alcoólicas e o café;
Inicie hoje mesmo seu programa de exercícios anti-estresse e conquiste tranquilidade, além de um corpo mais bonito e saudável.

19.8.17

TÉCNICAS PARA EVOLUIR NAS CORRIDAS

           
            Das práticas esportivas que temos nos dias de hoje, com certeza a corrida é uma das mais praticadas, tanto pelos jovens, adultos e até idosos. Para iniciar basta alguns pequenos requisitos: roupas leves, estar bem hidratado e alimentado, tênis apropriado para corrida, de preferência com sistema de amortecimento para diminuir os impactos nos joelhos e prevenir lesões. É necessário uma consulta com um cardiologista, para obter um diagnóstico de aptidão à pratica, bem como o acompanhamento de um educador físico, a fim de obter orientações mais corretas sobre: postura, intensidade, forma de respirar, etc. E assim poderá obter resultados mas eficazes e seguros com suas corridas.

            Uma vez realizado essas informações iniciais, vamos às dicas de treinos para que você consiga se tornar um corredor com grandes resultados.

  • Treino de Volume – O corredor trabalha o condicionamento cardiorrespiratório e prepara a musculatura para a corrida. Baseia-se no aumento progressivo do tempo ou quilometragem da corrida e a velocidade é baixa. Com isso, a frequência cardíaca é baixa e é em torno de 60% a 70% da frequência cardíaca máxima do corredor. O treino é ideal para quem só deseja queimar gordura. Já para quem deseja também uma melhor performance, é necessário associar o treino de volume com o de intensidade.

  • Treino de Ritmo – Adapta o organismo para manter-se em movimento com velocidade maior em médias distâncias, ou seja, menor ou igual a 10km. O treino exige mais dos músculos e a frequência cardíaca fica em torno de 80% a 90%.

  • Treino de Intensidade – É um treino com velocidade alta, que alcança de 85% a 95% da frequência máxima e não deve ser feito todos os dias. Deve corresponder a 10% do volume de corrida na semana. Recomenda-se que seja intercalado com o treino de velocidade. Dentro desse treino existe o Fartlek, que apresenta variação de ritmo e a intensidade da corrida varia de acordo com as distâncias e o tempo dos esforços executados. Nos intervalos desses esforços, deve-se utilizar estímulos mais leves, como trotes. Também há alternância entre corridas rápidas e lentas. O Fartlek deve ser usado para método de treino durante um plano de preparação física e não deve ser adotado como método principal.

  • Treino de Limiar – É feito em ritmo intenso para elevar o limiar anaeróbico. Exemplo: trabalha-se em ritmo crescente durante 20 minutos.

  • Treino Regenerativo – Recupera o organismo dos treinos de grandes exigências e o prepara para novos esforços. O treino é de baixa intensidade e baixa frequência cardíaca, em que são usados 60% da frequência.

Ao contrário do que muitos pensam, a corrida de rua não é um esporte simples, e por essas diversas maneiras de treinar, de acordo com performance e distância.

12.8.17

CORRIDA AJUDA A PRESERVAR HABILIDADES COGNITIVAS NA MEIA-IDADE, DIZ PESQUISA

Em um estudo de 25 anos, atividades cardiovasculares auxiliaram a memória e a velocidade psicomotora.
Praticar atividades cardiovasculares na juventude ajuda a saúde cerebral depois dos 43 anos (Thinkstock)
Um estudo publicado nesta quarta-feira no jornal Neurology revelou que pessoas que praticam corrida ou outras atividades cardiovasculares podem ter a memória e as habilidades cognitivas conservadas na meia-idade (entre 43 e 55 anos).

CONHEÇA A PESQUISA
Título original: Cardiorespiratory fitness and cognitive function in middle age
Onde foi divulgada: periódico Neurology
Quem fez: Na Zhu, David R. Jacobs Jr, Pamela J. Schreiner, Kristine Yaffe, Nick Bryan, Lenore J. Launer, Rachel A. Whitmer, Stephen Sidney,   Ellen Demerath,  William Thomas, Claude Bouchard, Ka He, Jared Reis e Barbara Sternfeld
Instituição: Universidade de Minnesota em Mineápolis, nos Estados Unidos
Resultado: Os pesquisadores revelaram que pessoas que praticam atividades cardiovasculares na juventude podem ter melhor memória e habilidade cognitiva na meia-idade
Diversos estudos já mostraram os benefícios de uma boa saúde para o cérebro. "Essa é mais uma importante constatação que pode incentivar os jovens adultos a manter a saúde do cérebro por meio de corrida, natação, ciclismo ou aulas que trabalhem a capacidade cardiovascular", diz o autor do estudo, David R. Jacobs, da Universidade de Minnesota em Mineápolis, nos Estados Unidos.
Para realizar o estudo, os pesquisadores contaram com a participação de 2.747 pessoas saudáveis com idade média de 25 anos. Todas fizeram testes na esteira no primeiro ano do estudo e vinte anos depois. Já os experimentos cognitivos foram realizados 25 anos depois do começo da pesquisa e mediram memória verbal, velocidade psicomotora (que relaciona as habilidades de pensamento com o movimento físico) e função cognitiva.
Para o teste na esteira, os participantes andaram ou correram até a velocidade e a inclinação em que não suportavam mais continuar ou em que tinham dificuldades respiratórias. No primeiro teste, a média foi de 10 minutos de duração. Duas décadas depois, esse tempo diminuiu para 2 minutos e 54 segundos, em média. 
No experimento cognitivo, foi constatado que cada minuto que o participante completava no primeiro teste se convertia, 25 anos depois, em 0,12 mais palavra recordada no exame de memória, que continha quinze palavras, e 0,92 mais acerto em um teste numérico. A análise dos resultados levou em conta fatores como tabagismo, diabetes e colesterol alto.
Segundo os cientistas, os participantes que tiveram resultados mais próximos no primeiro e no segundo teste mostraram melhor desempenho nas avaliações de funções cognitivas, comparados àqueles que sofreram um declínio mais acentuado. Os voluntários saíram-se melhor, por exemplo, em relacionar corretamente as cores apresentadas. "Essas mudanças são significativas, mesmo que modestas, já que superam os efeitos de um ano de envelhecimento no cérebro", explica Jacobs.

6.8.17

ARCO-ÍRIS DA SAÚDE

Resultado de imagem para ARCO ÍRIS DA SAÚDE

A variedade de cores nas refeições não é algo somente atrativo. É uma realidade que pode representar a quantidade de nutrientes, vitaminas e antioxidantes específicos encontrados em cada vegetal. Esses componentes podem auxiliar de alguma forma determinado órgão ou mecanismo do corpo.Por isso, muitos especialistas consideram que as cores são vistas como fundamentais para a saúde, pois atuam contra a ação dos radicais livres, além de fortalecerem o sistema de defesa, a flora intestinal e, ainda, são capazes de prevenir doenças como câncer, diabetes tipo 2, hipertensão e problemas cardíacos.
Os que consomem uma quantidade generosa de diversidades de frutas, verduras e legumes, reduzem os riscos de desenvolverem doenças do gênero, pois as cores dos alimentos mostram potencialidades capazes de garantir uma melhora no corpo de quem os utiliza.
Resultado de imagem para ARCO ÍRIS DA SAÚDE
Mas os cientistas garantem também que não são apenas os órgãos internos preservados, o alaranjado da cenoura ou os tons mais amarelos da manga podem deixar a pele mais bonita e saudável, o cabelo sedoso e o humor nas alturas. Cada cor indica uma predominância de algum componente importante para o nosso corpo.
O amarelo e o alaranjado, como mencionamos anteriormente, apontam a presença de betacaroteno e vitamina C (capazes de fortalecer o sistema imunológico). Os avermelhados, como o tomate, possuem o licopeno (que pode prevenir alguns tipos de câncer como o de próstata).
Mesmo sabendo sobre essas importantíssimas informações, as pessoas ainda são incapazes de incrementar na alimentação esses compostos tão importantes para o corpo, preferindo a utilização de refeições carregadas de biscoitos, salgadinhos, sucos artificiais, balas, sorvetes, iogurtes e muitas outras possibilidades de comida destrutiva.
O aconselhado mesmo é caprichar na variedade de cores, sabores e qualidades no que diz respeito aos vegetais que a natureza nos deixa disponível. Sendo assim, você estará garantindo que sua saúde seja poupada de diversos problemas no futuro.